HUGO CHÁVEZ.O HOMEM QUE PENSOU O SOCIALISMO DO SÉCULO XXI.

UM CIDADÃO DO MUNDO. HUGO CHÁVEZ DEIXA SUA PASSAGEM NA HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA VENCENDO DESAFIOS COMPLEXOS. QUEM É O MAIOR VENCEDOR NA HISTÓRIA COMPARTILHADA DE HUGO CHÁVEZ; O POVO EXCLUÍDO QUE GANHOU DIGNIDADE. E ISTO FAZ TODA DIFERENÇA. COMO COSTUMO DIZER TRAGO COMIGO CONTRIBUIÇÕES DE AMIGOS QUE COMPARTILHAM AS LUTAS DE HUGO CHÁVEZ.

309237_10151478156134642_598278834_n HC

 Portal Vermelho

Todo o povo defende sua revolução”, “mais que nunca, Chávez somos todos”, “Chávez vive em todos nós”, “morreu e virou milhões”. Estas são algumas das palavras mais usadas no cortejo fúnebre que transportou o líder da Revolução Bolivariana, Hugo Chávez Frías, do Hospital Militar à Academia Militar. Há dor, mas também firmeza nas demonstrações de amor e carinho ao líder bolivariano. http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=207679&id_secao=7

 HCVS 2

Hugo Chávez: a trajetória de um líder do povo e sua luta pela integração latino-americana

Tatiana Félix  -Jornalista da Adital – Adital  -06.03.13 – Venezuela

logo

Nascido em 28 de julho de 1954 em Barinas, Hugo Rafael Chávez Frías iniciou sua formação militar em 1971, onde após quatro anos de estudo, graduou-se como subtenente, também licenciado em Ciências e Artes Militares. Fez cursos de comunicação, de Meio de Blindados do Exército, onde se destacou, também cursou o Avançado de Blindados, participou do curso Internacional de Guerras Políticas na Guatemala e no início dos anos 90 estudou no Curso de Comando e Estado Maior na Escola Superior do Exército. Seguindo a carreira militar na Força Armada Nacional, alcançou o grau de tenente-coronel em 1990.

Durante seus estudos – ele também se pós-graduou em Ciências Políticas-, Chávez descobriu sua inquietude política e viu em Simón Bolívar, que defendia uma América unida, um ideal a ser seguido. Era o início de sua trajetória na política.

577397_497285333640465_2122994289_n HC 4

Em 1982, junto a outros oficiais militares, ele fundou o Movimento Bolivariano Revolucionário 200 (MBR200), em um momento em que a Venezuela enfrentava uma crise sócio-política e econômica com o esgotamento do modelo neoliberal instruído pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), e que mais tarde, em fevereiro de 1989, eclodiu na série de protestos populares contra o governo de Carlos Andrés Pérez, conhecidos como ‘El Caracazo’.

El Caracazo marca o início da Revolução Bolivariana, encabeçada por Hugo Chávez em fevereiro de 1992, quando ele liderou uma rebelião cívico-militar, contra o mesmo governo de Carlos Andrés Pérez. Fracassando em sua tentativa de atingir o governo, Hugo Chávez assumiu publicamente a responsabilidade pela ação e pagou a pena passando dois anos na prisão.

HC10

Quando foi libertado, o revolucionário bolivariano funda o Movimento V República e começa a se articular por todo o país com o objetivo de alcançar a refundação do Estado e recuperar a soberania popular e nacional, através da transformação social.

Cativando a maioria da população, Hugo Chávez chegou ao poder em 1998, quando venceu sua primeira eleição presidencial com mais de 56% dos votos. Em 1999, convocou um referendum para executar a reforma da Constituição Nacional que datava de 1961, ato que teve expressivo apoio da população. No ano 2000, cumprindo o estabelecido na nova Constituição, Chávez se candidata para novas eleições gerais onde vence com quase 60% dos votos.

625631_548782665172607_423915340_n HC56

A Lei de Hidrocarbonetos em 2001 que propunha recuperar os recursos derivados do petróleo atingiu diretamente os setores que contavam com o apoio dos Estados Unidos. Em consequência desta e de outras medidas pela independência e soberania do país, o governo bolivariano de Hugo Chávez sofreu um breve golpe de Estado em abril de 2002, que durou 47 horas, quando militares prenderam ilegalmente o mandatário, dissolveram a Assembleia Nacional e o Supremo Tribunal e anularam a Constituição de 1999.

Na ocasião, Pedro Carmona, então presidente da Federação Venezuelana de Câmaras de Comércio foi instalado como presidente interino do país, e imediatamente, setores chavistas realizaram um levante pela volta do líder eleito pelo povo. A falta de apoio a Carmona derrubou o “presidente de fato” de forma mais rápido que sua chegada ao poder, e reinstalou Chávez ao seu lugar de comandante da Venezuela.

Superando a greve do setor petroleiro entre 2003 e 2004, o apoio popular consultado por meio de mais um referendum, confirmou em 2004, que o ‘presidente do povo’, Hugo Chávez, deveria continuar no comando do país.

Em 2006, Chávez foi reeleito presidente com 62,84% dos votos nas eleições nacionais. Em 2007, um novo referendum para outra reforma da Constituição Nacional foi rejeitado por pouco mais da metade da população venezuelana. Insistindo na modificação da emenda para permitir a reeleição indefinida, um novo referendum foi convocado em 2009, no qual o “sim” obteve a maioria dos votos. Nas últimas eleições presidenciais, em outubro de 2012, Hugo Chávez foi reeleito com 55,14% dos votos, para mais um mandato de seis anos.

HC 5

Soberania da Venezuela e Integração Latino-americana

Lutando pela soberania da Venezuela, o governo de Hugo Chávez foi marcado por atividades econômicas sustentadas em políticas sociais dirigidas aos mais pobres e excluídos, de acordo com os objetivos do Projeto Nacional Simón Bolívar, destacando assim a recuperação e o desenvolvimento social do país.

O presidente Hugo Chávez, quem também defendia a integração da América Latina, foi o impulsor da criação de entidades como União das Nações da América do Sul (Unasul), da Comunidade de Estados Latino-americanos e do Caribe (CELAC) e da Alternativa Bolivariana para Nossa América (Alba), todas com o intuito de fortalecer a integração e a independência regional, reduzindo a influência dos Estados Unidos na região. A aliança Petrocaribe, outra iniciativa da Venezuela com países do Caribe, fornece petróleo em condições especiais para países do continente, principalmente para Cuba.

Sergio Ferrari. Ex-diplomata suíço na Venezuela. ‘Chávez devolveu a dignidade aos excluídos’

377378_497286230307042_1937015470_n HC 2

Povo venezuelano acompanha o presidente Chávez    -   6.03.13 - Venezuela - Adital
Por volta das 11h da manhã desta quarta-feira começou o translado dos restos mortais do líder da Revolução bolivariana, Hugo Chávez Frías, partindo do Hospital Militar Doctor Arvelo rumo à Academia Militar, no Forte Tiuna, em Caracas.

O caixão coberto com a bandeira da Venezuela saiu carregado por membros da Casa Militar. Em uma ponta estava sua mãe, Elena Frías. Após as orações dirigidas por um sacerdote e acompanhadas pelo povo que se encontrava nos arredores do centro de saúde, o caixão foi colocado sobre o teto de um veículo cercado de coroas de flores.

untitledHC

O carro começou a rota escoltado por uma multidão e membros de sua equipe de Governo: o vice-presidente Nicolás Maduro; o ministro de Energia e Petróleo, Rafael Ramírez; o chanceler, Elías Jaua; o presidente da Assembleia Nacional (AN), Diosdado Cabello; o titular da pasta de esportes, Héctor Rodríguez; e a vice-presidenta do Parlamento, Blanca Eekhout, entre outros.

imgBinaryHF

O povo lhe saúda a sua passagem com bandeiras, gritos, cantos de amor e entoando o

Hino Nacional. As pessoas se abraçam e se dão as mãos enquanto escutam as interpretações da Banda Marcial e as composições do cantor do povo, Alí Primera.

Na caminhada de despedida estão também o presidente da Bolívia, Evo Morales; o governador do estado Aragua, Tareck El Aissami; a procuradora Geral da República, Cilia Flores; e a ministra para a Juventude, Maripili Hernández.

Desde os edifícios mais próximos as pessoas mostram o tricolor nacional, fotografias do líder revolucionário e o popular coração de Chávez, imagem que marcou sua mais recente campanha eleitoral em que obteve o triunfo de maneira esmagadora.

images HC 34

O cortejo atravessa a avenida San Martín, a praça O’Leary, a avenida Bolívar, o corredor Cólon até o corredor Los Ilustres de Los Próceres. A notícia é de AVN

O principal socialista do século XXI se despede da vida com grande legado logo_prt

VENEZUELAN PRESIDENT HUGO CHAVEZ DIES

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, morreu de câncer. A morte do líder foi anunciada na televisão pelo vice-presidente do país Nicolás Maduro. Após a cirurgia oncológica realizada em 11 de dezembro em Cuba, a condição do líder venezuelano se deteriorou rapidamente. Hugo Chávez tinha 58 anos de idade. Ele governou o país por mais de 14 anos.

Anúncios

Sobre luciadifatima
Que eu me lembre...sempre gostei de compreender a vida observando ou fazendo uso de imagens...quando adolescente amava fazer recorte e colagem...quando o professor de Arte pedia pra interpretar poemas e temas usando imagens de revistas velhas.O trabalho com a pesquisa de imagens era pra mim um encanto. Hoje sinto que as convivências humanas são direcionadas por eternos recortes e colagens...Humanamente recheados e colados por acertos e erros...os registros gravados neste espaço pretendem estimular e ampliar...reflexões...que busque a construção da melhoria das nossas convivências. O trabalho com educação que realizei durantes alguns anos, principalmente com crianças, amplia a esperança em nos tornarmos cada vez mais humanos. Provavelmente trocaremos saberes sobre mil coisas. Agradeço sua participação e a sua significativa contribuição neste processo de emancipação cidadã para todos e com todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: