Bora cuidar melhor das nossa crianças.

HOJE TRAGO COMIGO CONTRIBUIÇÕES PARA COMPARTILHAR SOBRE COMO ESTAMOS CUIDANDO DAS NOSSAS CRIANÇAS. PENSO QUE PRECISAMOS TER BASTANTE CUIDADO COM O QUE E COMO ESTAMOS CUIDANDO DAS CRIANÇAS.

Anúncios

FÉRIAS DAS CRIANÇAS.

NOSSAS CRIANÇAS ESTÃO NO PERÍODO DE FÉRIAS. NOSSO PAÍS PRECISA PENSAR EM POLÍTICAS PÚBLICAS QUE ATENDAM AS NECESSIDADES DAS FAMÍLIAS QUE PRECISAM DO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS EM TODO PROCESSO DO SEU DESENVOLVIMENTO.

 

 

ENQUANTO ISTO NÃO ACONTECE, TRAGO COMIGO UMA SUGESTÃO INTERESSANTE E INTELIGENTE PARA CONTRIBUIR COM O “CUIDAR” ATENCIOSO DE NOSSA CRIANÇA.

 

Educação é uma necessidade.

Nosso momento histórico,traz uma certa urgência, sobre, como repensar os sistemas de Educação. Penso que as práticas pedagógicas, de   Rudolf Steiner, podem acolher melhor nossas crianças de hoje, tão carentes de referências  positivas, que deveriam ser construídas, em grupos  familiares. A ação pedagógica possivelmente  precise adaptar-se, as condições  de convivío familiar comum aos dias atuais. Pedagogo

“A nossa mais elevada tarefa deve ser a de formar seres humanos livres que sejam capazes de, por si mesmos, encontrar propósito e direção para suas vidas.

NOSSA AMIGA SHEREZADE…CHEGA ESTIMULANDO CRIATIVIDADE E CORAGEM…

SHEREZADE…CHEGA ESTIMULANDO CRIATIVIDADE E CORAGEM…

Bom dia amigos… Trago para nossa troca de saberes de hoje… Um pouco da nossa  mundialmente conhecida, e especial contadora de histórias;- Sherezade:-

Um pouco da história de nossa heroína  – As Mil e uma Noites  surge com o apogeu do mundo árabe alcançado durante o reinado de Harum-el-Raschid, quinto califa da dinastia dos Abácidas, século VIII d.C.

Aladim e o gênio da lâmpada, Simbá, o marujo, e Ali Babá são alguns dos personagens que por três anos ajudaram, Sherazade, a manter-se viva  até que, por fim, estando o califa completamente apaixonado por ela e transformado interiormente pela beleza de suas histórias, liberta-se de sua depressão, suspende a pena, e a pede em casamento.

Os contos das “Noites Árabes” haviam servido a el-Raschid como verdadeira terapia! Este é o procedimento adotado desde a antigüidade pela medicina hindu, chamada Ayurveda, na qual os pacientes são convidados a meditar sobre contos de fadas para que suas mentes se purifiquem, condição prévia para que qualquer cura seja alcançada.

Sei que existe diferentes olhares sobre o poder das suas narrativas. Eu admiro sua criatividade. Vejo o seu modo de contar história muito interessante.  Ao decidir optar em postergar o final das histórias, claro que com o objetivo de salvar sua própria vida, porém pouco a pouco abranda os o ânimo do próprio sultão.

O seu modo de contar histórias presente nos dias de hoje nas novelas  televisivas. Ao assistirmos ou acompanharmos uma novela  sabemos que no final da novela o mocinho se sairá bem e ficará com a mocinha e viverão felizes para sempre.

Sabemos que os filmes mesmo os de terror, têm finais felizes, alguns deles já não nos surpreendem e,  no entanto, insistimos em assisti-los, acompanhando-os até o último momento.

Mantemos esta prática porque os sonhos nos dão vida. Gostamos de ouvir histórias. Quem sonha engrandece a alma. O sonho acorda as vontades e as vontades acordam a inteligência. Os sonhos revigoram as esperanças. Os fracos acordam revigorados porque o sonho apontou outros caminhos.

Esta conversa pretende ser uma reflexão que caminha e convida  para a afirmação da importância de ouvir e ler  histórias para as crianças e para todos nos ,  o poder das histórias nos leva adiante, nos ajuda a olhar com os olhos mais abertos. E o mais importante: as histórias salvam vidas. Sherazade, grande contadora de histórias, contou e encantou por 1001 noites salvando sua vida e a do sultão que aprendeu a amar de novo.

Os contos de fadas  são narrativas transparente do nosso mundo psicológico mais intimo de conteúdo muito mais rico que o mero teor moral encontrado na maioria das fábulas, são os contos de fada a fórmula mágica capaz de envolver a atenção das crianças, e nos adultos sentimentos e valores intuitivos que clamam por um desenvolvimento justo, tão pleno quanto possa vir a ser.



Os contos sempre foram popular como tradição oral. Não há como alcançar completamente seu sentido em termos puramente intelectuais, fato que nos desperta a percepção intuitiva. E contribui para sermos mais justos e generosos conosco, com nossas histórias e com os outros.

CONTINUO A PENSAR SOBRE CONTOS DE FADAS…

Como já postei aqui…continuo aprendendo com Bruno Bettelheim sobre  a gigante e significativa oportunidade, que diferencia uma criança que teve oportunidade da escuta da leitura de contos de fadas  realizadas por um adulto,da outra  criança que não teve esta gigante oportunidade. Também acredito  que estudos de formação para adultos são valiosos, neste momento  creio que a leitura dos contos de fadas acolhe o adulto e afaga a criança.

É possível afirmar que    “os contos de fadas lidam sob forma literária com os problemas básicos da vida, particularmente os inerentes à luta para adquirir maturidade. …Essas mesmas histórias também sugerem ao genitor que ele deve estar consciente dos riscos envolvidos no desenvolvimento de seu filho, de modo a poder esta-lhes alerta e proteger a criança quando necessário, a fim de evitar uma catástrofe; e que ele deveria apoiar e encorajar o desenvolvimento pessoal e sexual do filho quando e onde isso fosse apropriado.”

Relendo…João e o Pé de Feijão … neste momento da história…”  João grita para a mãe pegar o machado e cortar o pé de feijão …ela traz o machado como  o filho havia  pedido, mas fica paralisada ao ver as enormes pernas do gigante…” a paralisia da mãe significa  que, embora uma mãe possa proteger o filho contra os perigos que a luta pela masculinidade envolve – não pode obtê-la por ele, só ele próprio pode fazê-lo…João agarra o machado  e abate 0 pé de feijão, ao abater o pé de feijão  João não recorre mais a soluções mágicas ; torna-se um “homem de verdade” ; não tomará mais as coisas dos outros, mas tampouco viverá com medo mortal dos ogros, nem dependerá de que a mãe o esconda num forno”…  muitas outras reflexões este conto nos acolhe…penso ser muito significativo apropriar-se da analise  feita por Bruno Bettelheim, no seu livro  A psicanálise dos contos de fadas.

SAUDADES AMIGOS…

E TRAGO COMIGO UMA ALEGRIA GIGANTE POR ESTAR TENDO O PRAZER DE ESTUDAR AS CONTRIBUIÇÕES  DE BRUNO BETTELHEIM SOBRE  A IMPORTÂNCIA  DE CONHECERMOS SUAS PESQUISAS  A RESPEITO DOS CONTOS DE FADAS.

É GRANDE A AJUDA NO DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS, O QUE ESTAS POSSIBILIDADES DE LEITURAS CUIDADOSAS DOS CONTOS CONTRIBUEM PARA O PREPARO DE RITOS  DE PASSAGEM PARA OS NOSSOS PEQUENOS…

HÁ MUITOS GANHOS QUANDO FAZEMOS UMA LEITURA PROFUNDA DOS CONTOS DE FADAS PRIMEIRO PARA NÓS, DEPOIS PARA OS NOSSOS PEQUENOS. 

O Brincar para as Crianças

Brincar para as crianças é sua maior tarefa na Educação Infantil. Quando brinca a criança trona-se capaz de elaborar o seu pensamento e fazer construções  emocionais, intelectuais,afetivas,sociais , físicas e outras que a criança tenha necessidade momentânea, estas conseguimos perceber se estivermos observando com atenção e cuidado as suas hipóteses de construções a cerca de si.

%d blogueiros gostam disto: