“As empresas farmacêuticas não estão tão interessadas em curá-lo, mas apenas em ganhar dinheiro”

Tão sério quanto mídias que se colocam, como partidos, indevidamente e sonegando grande parte do acúmulo de seu capital, este capital pago pelos contribuintes. O pior é que muitos contribuintes acreditam que as mídias estão defendendo os direitos do povo. A mídia desonesta, que tem pavor de fazer auto crítica e que se coloca acima de qualquer instancia. Um dia está observação será revelada. Penso que já iniciamos este processo, revelações. E então os grandes “donos” das mídias começam a artilharia contra o próprio contribuinte. E este que é desrespeitado aplaude e pede “bis’. Assim como nós sabíamos que a indústria farmacêutica não tem interesse em trabalhar para curar as doenças, as grandes mídias também não têm interesse em produzir cultura, conhecimento, informação com critério ético. A polêmica, o  sensacionalismos, a frase de efeito o lucro certo é o que move nossa grande mídia nacional. É lamentável.

 safe_image nobel

O médico britânico e Prêmio Nobel, Richard J. Roberts, acusou as grandes empresas farmacêuticas de colocar em primeiro lugar os benefícios econômicos do que a saúde das pessoas, impedindo o progresso científico na cura de doenças porque curar não é rentável.

Os medicamentos que curam não são rentáveis, e portanto, não são desenvolvidos pela indústria farmacêutica, que desenvolvem drogas para tratamentos crônicos que são consumidas forma serializada“, disse o prêmio Nobel em uma entrevista para a revista ‘PijamaSurf’. “Algumas drogas que poderiam curar as doenças de uma vez não são investigadas. Até certo ponto é verdade que a indústria da saúde é regida pelos mesmos valores e princípios que o mercado capitalista, que chegam a se parecer muitocom a máfia “, se pergunta o Nobel da medicina de 1993. O cientista e pesquisador acusa a indústria farmacêutica de se esquecer de servir as pessoas e se preocupar apenas com o desempenho econômico. “Eu vi como, em alguns casos, pesquisadores dependentes de fundos privados podem ter encontrado remédios muito eficazes que teriam terminado completamente com uma doença“, explicou.

As empresas farmacêuticas não estão tão interessadas em curá-lo, mas apenas em ganhar dinheiro” 

Ele acrescenta que as empresas param de investigar, porque “elas não estão tão interessadas em curá-lo do que em tirar o seu dinheiro, assim, uma pesquisa de repente é desviada para a descoberta de medicamentos que não curam de todo, mas tornam a doença crônica e fazem experimentar uma melhoria, que desaparece quando você para de tomar a droga.” Diante disso, nota-se que a indústria está interessada em áreas de pesquisa, não para curas para doenças, mas “apenas para torná-las doenças crônicas com drogas cronificadoras muitos mais rentáveis do que curar completamente e de uma vez por todas “.

Quanto aos motivos por que os políticos não intervêm, Roberts argumenta que “em nosso sistema, os políticos são apenas funcionários dos capitalistas , que investem o necessário para que seus filhos não sejam deixados de fora, e se são, compram daqueles que são escolhidos”.

Fonte: Russia Today: Nobel de medicina: “Curar enfermedades no es rentable para las farmacéuticas”

Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com/2013/06/nobel-de-medicina-a-cura-de-doencas-nao-e-lucrativa-para-a-industria-farmaceutica/#ixzz3Ii4uFWJu

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: