Educação Infantil

Estou vivendo um momento, no qual percebo que, as construções afetivas, são imprescindíveis na educação infantil. Trouxe comigo as contribuições de Anthony Browne.

Livro recomendado para a Educação Pré-Escolar, destinado a ler em voz alta/contar/trabalhar na sala de aula.

Recomendado para o 1º ano de escolaridade destinado a leitura autónoma e/ou leitura com apoio do professor ou dos pais.
Também recomendado para projectos relacionados com o Natal nos Jardins de Infância, 1º e 2º anos.

O livro ideal para filhos, filhas… e especialmente mães. Livro cartonado, ilustrado a cores. Uma homenagem às mães num livro cheio de ternura. «A minha mãe podia ser bailarina ou astronauta, podia ser uma estrela de cinema ou uma grande empresária. Mas é a Minha mãe, que há-de gostar sempre de mim.»

 Este livro é um tributo aos pais num álbum cheio de afecto e de humor. Anthony Browne, alia breves frases a ilustrações muito ricas que proporcionam ao leitor uma interpretação imediata do tema. A importância da figura paternal é comunicada ao leitor através da perspectiva de uma criança que destaca as inúmeras qualidades e atributos do seu Pai. O fato de este se encontrar caracterizado por um roupão em todas as imagens, suscita um ambiente familiar informal em que a criança, através dos elementos visuais percepciona facilmente as comparações feitas. A relação entre texto e ilustrações é peculiar, visto que a expressividade das imagens permite aos leitores captarem as metáforas referidas pelo texto. Este livro é ideal para ser lido no seio familiar, podendo criar um excelente momento de cumplicidade e união entre pais e filhos.

O Meu Pai

«O meu pai podia ser um doutor ou um atleta, podia ser um dançarino ou um grande cantor. Mas é o MEU pai, que há-de gostar sempre de mim.»
Anthony Browne
Anthony Browne é um grande autor e ilustrador inglês de livros infantis, somando cerca de 40 títulos editados. Foi aluno do Leeds Art College, tendo-se licenciado em artes gráficas no ano de 1967. Recebeu vários prémios, dos quais se destacam o Kate Greenaway Medal em 1983 (Gorilla) e 1992 (Zoo); o Prémio Kurt Maschler, por Gorilla(1983), Alice`s Adventure in Wonderland (1988) e Voices in the Park (1998). É detentor do muito prestigiado prémio Hans Christian Andersen (o «Nobel» da literatura infantil) de ilustração, no ano 2000. Mais recentemente foi ilustrador residente das célebres galerias Tate.
%d blogueiros gostam disto: