DAVI/GOLIAS E MÍDIAS ATUAIS.

É sempre uma luta injusta, que o cidadão comum e invisível, trava contra os meus de comunicação. Fique fortalecida quando, o atual Papa Francisco pedia que todas as mídias tivessem o compromisso com a verdade. A mídia deve ter feito ouvidos surdos para a fala do Papa Francisco. Lamentável! A dor, o desrespeito com o outro, contra valores e direitos humanos e sempre em defesa do capital e do lucro certo é o que marca a nossa mídia, especialmente, a de São Paulo. A mídia coloca-se disponível para fazer a crítica de tudo, sobre tudo e de todos. Nuncaaaaaaaaaaaaaaaaa!!! Faz autocrítica. Nunca deixa claro, nunca mostra seu real interesse, que é o de estar sempre dominando o pensamento de todos para assim poder continuar dominando com total tranqüilidade os caminhos da sociedade.

DAVI DE MICHELANGELO

DAVI DE MICHELANGELO.

 

Se antes  tínhamos muito pelo o que lutar em momentos históricos, no passado, hoje a luta é mais sutil, difícil, porém fundamentalmente necessária. Vivemos em tempos em que o pensamento é negociado como um produto e isso poderá ser lamentável em um futuro muito próximo. As lutas em defesa dos direitos humanos ganham forma a cada dia que vivemos. Os movimentos sociais fazem parte do corpo desta luta insana. Nos dias atuais a mídia brasileira mostra-se cada vez mais declarada e contra aos avanços sociais que os últimos governos desenvolveram e legitimaram para a classe trabalhadora. A mídia defende a si mesma usando os seus próprios meios de comunicação e não esclarecimento  no fato que divulga. Apenas comentários que ela julga oportuno para blindar todos os seus direitos. O que é muito lamentável e o fato de saber que esta mídia como em vários outros países deveria ser regulamentada e perder a concessão absurda que ela apropriou-se. Como disse a luta é injusta verdadeiramente, Davi e Golias. Muitos “Davis” para enfrentar  Golias Midiáticos.

thCAX6M9MKgolias

O programa “ De volta para casa” da TV Cultura esta negando ao seu ouvinte o exercício da critica, pois essa emissora de rádio publica coloca-se em uma posição de defender o governo de São Paulo sem estimular a autocrítica. Não traz para as reflexões a lamentável proposta de governar dos governos, de São Paulo que fizeram este caos na distribuição de água, no Estado de São Paulo. A TV e rádio pública tem que trazer reflexões com diferentes olhares como nos congressos de estudos. Se isso não acontece a programação está atrelada ao partido político e dela faz uso. Sendo assim penso que  a TV publica carece de autocrítica.

 

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: