A Tolerância e seus limites.

Trago comigo reflexões de pessoas, que propõem um olhar comprometido, na construção da convivência humana.

Não faz muito tempo falei sobre as questões da intolerância, entre os homens. Muitos de nós sabemos o quanto são grandes, graves e profundas as consequências, que são deixadas por conta das atitudes humanas intolerantes. O mundo novamente sentiu, viu e presenciou atitudes intolerantes “justificadas” pela religião.

Garotinho segura arma de brinquedo durante protesto contra um filme de produção dos EUA que ridiculariza o profeta Maomé, no campo de refugiados palestinos de Ain el-Hilweh, no Líbano.Fonte Uol

É profundamente lamentável. É torturante assistir a morte em nome da Fé. Sabemos que isto precisa ser transformado. As ações por conta do filme ‘Inocência dos muçulmanos’  -” O Julgamento de Maomé”,precisa ser transformada, humanizada. Já falamos aqui… A Tolerância tem limites. Penso que precisa existir ações  emacipadoraras, que garantam o direito à proteção da vida. Da convivência humana. Para além da Fé e das Culturas.

O líder iraniano acena antes de entrar no avião em Teerã, rumo aos EUA para participar da Assembleia Geral
O presidente iraniano Mahmud Ahmadineyad criticou o filme islamofóbico que desencadeou violentos protestos no mundo muçulmano, mas também pediu contenção nas reações.
“Basicamente e antes de mais nada, qualquer ação que é provocativa e ofende os pensamentos religiosos e os sentimentos de qualquer pessoas, nós condenamos”, afirmou em ao canal “CNN” em sua chegada aos Estados Unidos para participar esta semana na Assembleia Geral da ONU.
Mais de 50 pessoas morreram nos protestos e ataques em todo o mundo em resposta ao filme produzido nos Estados Unidos que denigre o Islã e o profeta Maomé. Fonte Uol24/09/2012

Leonardo Boff – espiritualidade

Mario Sérgio Cortella – espiritualidade

Dom Pedro Casaldaliga – espiritualidade e esperança

Desmond Tutu

Bono Vox – U2

Bono Vox – u2 – One

ADOÇÃO NO BRASIL

Sonhar preferencialmente, sonhos possíveis

Parabéns! Maria Verônica. Boa sorte sempre! Que suas meninas lindas sejam pessoas belas, generosas ,justas,humanas e solidárias!

A gestação de Maria Verônica, trouxe à memória uma antiga questão, a adoção no BRASIL.

Não seria momento ,diria até  tardio de melhorar o processo de adoção de crianças que ainda guardam dentro de seus sonhos, o desejo de  terem pais ou responsáveis amorosos que, desejam assumir e cuidar verdadeiramente do seu caminhar na sociedade.

Estes sonhos deixam de ser de crianças, quando os processos de adoção demoram mais que cinco ou seis anos. Tempo que parece ser regular para a adoção legal em nosso país.

A ERA DO CUIDAR

Cuidar, cuidar…para sempre afinal todos temos um tanto de erros e fraquezas.

É bom  estar de volta amigos.  Trago comigo algumas questões para pensarmos juntos.  As imagens que foram divulgadas sobre  a tragédia, na Noruega provocadas, por  Andres Breivick, pra além da dor  me faz lembrar sobre a necessidade,de construir atitudes humanas e cotidianas sobre a tolerância. Eternamente.

Do latim tolerantia: constância em suportar. […] Moralmente (por oposição a fanatismo), disposição de espírito, atitude ou regra de conduta consistindo em: a) permitir a cada um a liberdade de expressar suas opiniões com as quais não se partilha; b) jamais defender suas opiniões procurando impô-las aos outros pela força; c) pensar que ninguém possa considerar-se, em matéria religiosa, política, moral ou estética, o detentor absoluto da verdade.

 Esse processo de construção, que sabemos inicia dentro dos diferentes agrupamentos familiares precisa ser amparado, seria muito bom que fosse possível ser construído ao longo dos anos escolares.

Neste sentido penso que seja fundamental a sociedade  apropriar-se das contribuições sobre a tolerância  já  refletida por vários pensadores ,cada um em seu tempo, eles sempre  nos ajudam  a ver e agir melhor no nosso cotidiano. As significativas contribuições de  alguns pensadores, que já refletiram sobre  a tolerância em diferentes momentos da história da humanidade nos  fortalece para compreendermos o quanto precisamos repensar nosso olhar sobre nos mesmos…afinal somos todos e cada um cheios de erros e fraquezas, entre tantos  que nos auxiliam neste processo de refletir sobre a tolerância poderíamos reler ; François Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire    (Paris,21  de novembro de1964 – Paris,30 de maio de 1778), escritor,ensaísta,deísta e filósofo iluminista francês. Voltaire foi um pensador que se opôs à intolerância religiosa e à intolerância de opinião existentes na Europa no período em que viveu.

 “Cada vez sabemos menos”  Esta frase é de um dos grandes pensadores do século XX, Norberto Bobbio . Formado em filosofia e em direito, foi professor universitário e jornalista – estudou  e escreveu sobre teoria política e os direitos individuais. Na Itália dos anos 1940, mergulhada na Segunda Grande Guerra Mundial (1939-1945), Bobbio fez parte do movimento da Resistência: ligou-se a grupos liberais e socialistas que combatiam a ditadura do fascismo. 

 Leonardo Boff,pseudônimo de Genézio Darci Boff ( é um teólogo brasileiro, escritor e professor universitário, expoente da  Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da Ordem dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos. É respeitado pela sua história de defesa pelas causas sociais e atualmente debate também questões ambientais. E acredito que de alguma maneira a Declaração dos direitos do homem contribuem bastante para essa nossa luta eterna da construção da tolerância entre todos.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS


Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III)

da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948

Preâmbulo

Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo,

Considerando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do homem comum,

Considerando essencial que os direitos humanos sejam protegidos pelo Estado de Direito, para que o homem não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra tirania e a opressão,


Considerando essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos humanos fundamentais, na dignidade e no valor da pessoa humana e na igualdade de direitos dos homens e das mulheres, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla,


Considerando que os Estados-Membros se comprometeram a desenvolver, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos humanos e liberdades fundamentais e a observância desses direitos e liberdades,

Considerando que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso.

MOVIMENTO SIMBÓLICO

Amigos, trago comigo um tanto de preocupação,tristeza, dor e decepção. Andres Behring Breivik mostra ao mundo  a necessidade que temos de  construir com significado universal, o que, entendemos sobre a intolerância, o preconceito e a tolerância.

Estes conceitos são construídos dentro dos primeiros e  diferentes grupos de convivência, que as crianças pertencem. Breivik nos mostra através da dor a urgência, que esta discussão precisa ser garantida , por todas as nações.

A Noruega também nos mostra corajosamente a importância de optar por respeito humano entre todos e para todos. Breivik fez um  conto de dor  e terror.

A Noruega busca no movimento simbólico, posicionar-se contra o terror. As nações precisam relembrar para sempre, como nos contos de fadas, que é preciso garantir o direito à vida. É preciso garantir os direitos humanos. Relembrar para sempre.

Sabemos que esta discussão   é complexa, mas necessária.   Também sabemos que,  tolerância tem que ser acompanhada da responsabilidade.  É um conviver entre pessoas é particularmente difícil, mas necessário para nós definirmos como humanos.

As crianças sempre…aprendem e ensinam

Se a criança é pura imitação…que tal se ela imitasse…

Algo que nos adultos dito maduros,responsáveis e cuidadosos com a criança  estamos demonstrando com pouca intensidade…como compromisso,carinho,confiança,verdade,prazer com o que fazemos,verdade no que dizemos…bom que tal criarmos um personagem verdadeiramente bom pra ser imitado por nossas crianças…recheado de valores justos,humanos e solidários…que o nosso mundo precisa .

%d blogueiros gostam disto: