OPRESSÃO,PACIÊNCIA E VIOLÊNCIA. BASTA!

Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

VILENCIA CONTRA AMULHER

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) é parceiro da Campanha Compromisso e Atitude que ajuda no enfrentamento à violência doméstica. No site da campanha é possível acessa a legislação, obter dados e estudos e saber sobre as ações em andamento e sobre a rede de serviços à disposição das mulheres. A informação é a melhor ferramenta para garantir os direitos das mulheres. 

As violências que as mulheres sofrem são extremamente subjetivas. O olhar de Simone de B alertou há muito tempo que elas são históricas os homens mandam sabem disse e usam disto até o momento presente. Tenho várias histórias que amigas me contam você deve ter uma também…que a força da Fé que nunca seca nos proteja desta tal submissão que a história faz questão de nos manter para sempre em segundo lugar. Sempre tempo que os homens não toleram aí como diz Simone de Beauvoir “O homem é definido como ser humano e a mulher é definida como fêmea. Quando ela comporta-se como um ser humano ela é acusada de imitar o macho.”  É as violências ainda estão cada vez mais sutis. Muitas vezes o simples fato que queremos opinar em compartilhar agendas trona-se motivo de rompimento. Pois estes “tais” homens cultos, sábios, vividos, modernos, voltados por causas sociais e geralmente muito bem nascidos. Só permitem que eles decidam para o beneficio  deles próprios e mais nada. De  preferência que a decisão seja perfeitamente unilateral e claro acomode muito bem o “umbigo dele” Esconde-se no chavão  – “ Estou respeitando a sua liberdade de ser feliz”. Desde que ele não faça se quer um movimento, em beneficio da convivência a dois que lhe possa causar algum tipo de perda. Porque será que isto não muda. Onde nós mulheres mães erramos e criamos seres tão egoístas. Nossa como isso dói. Sabemos que existem muitas historias que  muitas mulheres vivenciam. Precisamos divulgar.

A paciência – é uma das – qualidades femininas que têm como origem a nossa opressão, mas que deve ser preservada após a nossa libertação.” ―Simone de Beauvoir

Anúncios

Violência Contra a Mulher

AÇÕES POSITIVAS

A parceria entre a ANDI – Comunicação e Direitos, Instituto Patrícia Galvão, Secretaria de Políticas para as Mulheres e Observatório Brasil para a Igualdade de Gênero deu origem a quatro análises de mídia, integrantes do projeto Monitoramento da Cobertura Jornalística como estratégia para a promoção da equidade de gênero. Os resumos executivos de três delas, intituladas Mulheres e Política, Mulheres e Trabalho e Violência contra a Mulher estão disponíveis no site da ANDI (www.andi.org.br) e aqui, na área de publicações no site do Programa Interagencial, que apoia a iniciativa.

Resumo executivo da publicação Análise da Cobertura da Imprensa sobre Violência Contra a Mulher: http://www.andi.org.br/sites/default/files/resumo_executivo_mulher_violencia_ANDI_2011.pdf

%d blogueiros gostam disto: